2 de dez de 2012

[Review] 5x07 - "Five-Twenty-Ten"


Fringe

A queda de um observador.

Quando analisamos as 5 temporadas de Fringe, notamos que a série sempre teve como cerne de suas tramas histórias de sacrifício, perdas e morte. Desde a escolha de Walter de arriscar a segurança dos universos pela cura do filho em estado terminal no ano de 1985, até os dias atuais, nos quais a série promete encerrar seu enredo com o sacrifício deste mesmo filho pela re-ascensão da humanidade e um ínfimo sentimento de vingança.

Obviamente me refiro a Peter e ao que "Five-Twenty-Ten", mais um episódio capaz de dar uma reviravolta em nossas cabeças, tenta insinuar. De que Olivia perderá Peter mais uma vez. De que perderemos Peter mais uma vez. A destinada morte no lago Reiden, o desenho na máquina do apocalípse e, agora, o declínio exponencial do personagem oriundo da transformação em observador (e evidenciado pela hemorragia e queda de cabelo), parecem sinais de que no dia 18/01, quando Fringe nos apresentar seu promissor series finale, também estaremos nos despedindo de Peter. 

Parece radical, mas sinto que esta será a escolha viável para os roteiristas encerrarem a série em linhas emocionais. Porém, antes disto, falemos de desenvolvimento. 

"Five-Twenty-Ten" nos apresenta uma cadeia de consequências que se expandem mais que a equação de Fibonacci. Abrindo o prólogo com um Peter eficaz, que calcula as variáveis das linhas temporais e dá passos para não apenas observar como interferir, o episódio cria o primeiro verso de uma rima que veríamos ao término, com um Peter irreconhecível pela falta de afeto, de emoção, e cuja queda de cabelo não apenas representa uma mudança estética como revela a metamorfose interior do personagem pela figura externa.

Se o cabelo era o que diferenciava Peter de um observador, esta característica humana é mais uma dentre aquelas que se perdem. O personagem se esvai, o cabelo se esvai, como Etta e o dente-de-leão que abriu a temporada tão simbolicamente. A trama também corre ao paralelo dessa decadência, sendo mais uma vez surpreendente e coesa em cada passo que avança.

Porém, não é apenas Peter que apresenta um desequilíbrio emocional/racional neste 5x07. Walter também figura as consequências de uma mente vasta em conhecimento e que converte-se em uma personalidade diferente daquela que conhecemos e passamos a adorar nos últimos anos. "Walter, você me perguntou porque tirei partes do seu cérebro. Fiz isso porque me pediu. Por causa do que você estava se tornando" diz William Bell minutos antes de morrer em "Over There Part 2".

Aliás, Fringe sempre evidenciou através de Walter que o conhecimento é capaz de produzir coisas inimagináveis. Projeção astral, telepatia, reanimação e tantos outros preceitos vistos em Fringe só foram possíveis graças aos avanços de uma mente expandida (e algumas doses de LSD, não vamos negar) como a de Walter. Vimos porém que o esclarecimento também possibilita uma distorção de caráter, assim como a carência de emoção e empatia. 

Dessa forma, o desespero de Walter e o desafio de se manter humano acabam por ser tão tristes quanto ver Olivia perdendo Peter mais uma vez. Já Nina deverá ter papel crucial na resolução desta trama, uma vez que é a única com recursos suficientes para repetir o processo que vimos em "Grey Matters", onde William Bell realiza a operação de remoção de partes do cérebro de Walter.

Ademais, a tecnologia da Massive Dynamic foi de suma importância aos planos de Walter de resgatar os beacons - instrumentos de localização compostos de Irídio que serão essenciais na batalha anti-observador. Incrível de fato é ver um elemento como este, introduzido há muito tempo no episódio 1x04 "The Arrival", ter utilidade revelada 4 temporadas depois para provar mais uma vez que em Fringe nada é por acaso, nem mesmo um vinil de David Bowie.

Easter Eggs

Para início de conversa, a produção de Fringe continua impecável nos destalhes. Neste 5x07, por exemplo, vemos no restaurante dos observadores pratos contendo apenas carne e uma grande quantidade de pimenta. Isso nos remete novamente ao episódio 1x04 "The Arrival", no qual September aparece aos nossos olhos pela primeira vez sentado em uma lanchonete onde pede a garçonete um pedaço extremamente cru de carne, colocando logo em seguida uma grande quantidade de pimenta no prato. O que aprendemos com isso? Os carequinhas adoram uma malagueta.
E se em "The Bullet That Saved The World" já havíamos revisto alguns dos principais antigos fringe cases, em "Five-Twenty-Ten" relembramos o principal deles. Aquele que deu início as investigações do padrão, que fomentou a criação da Fringe Division e que primeiro investigamos, o caso do voo 627 cujos passageiros e funcionários foram todos mortos por uma toxina que causava a corrosão e dissolvimento da pele dos que estavam abordo. E ver isto ser utilizado hoje contra os Observadores é simplesmente indescritível. Notem também a semelhança do efeito e do frame utilizado em ambos os episódios:
O glyphs code dessa semana traz a palavra "TRUST" que traduz-se como "confiança". Mais uma vez, está claro que a referência seja ao discurso de Olivia no carro com Astrid, em que a primeira fala no sentido antônimo sobre a confiança que possuía em Peter naquele momento. Confiança esta quebrada ao término do episódio quando Olivia se depara com um Peter irreconhecível.

Outro easter egg mais que interessante é o disco de vinil "The Man Who Sold The World" de David Bowie reencontrado por Walter no depósito de Bell. Curioso mesmo é notar que nele existe uma música intitulada "All The Madmen" (todos os homens malucos) que se refere a história de um homem preso em um instituto mental. A semelhança com a história de Walter é tamanha que não há como dizer que este não tenha sido um easter-egg premeditado, ainda mais se tratando do trecho da letra que diz "Day after day. They take some brain away." (Dia após dia. Eles levam um pouco de cérebro).


E mais uma vez os produtores procuram nos dar pistas através de pichações. Nesta semana, vemos a palavra "Oráculo" surgir na parte externa do depósito de William Bell. Outra referência a Matrix, talvez? Ou uma dica para o próximo episódio?
Ademais, é incrível a semelhança que existe entre a sequência de abertura do episódio 3x03 "The Plateau" e este 5x07 "Five-Twenty-Ten". No primeiro, vemos Milo Stanfield posicionar-se na calçada, observar sua vítima, calcular as variáveis, atentar-se ao semáforo e atravessar a rua atrapalhando o tráfego, exatamente como faz Peter no prólogo do episódio. Convido a vocês a reverem a cena de "The Plateau" aqui.

Fringe entra em hiatus e só retorna no dia 07/12.

Canal de Séries, Por Gabriel Dias

0 teorias:

Postar um comentário

.