17 de jan de 2013

[Review] 5x11 - "The Boy Must Live"



Quando uma simples anomalia pode mudar tudo.


Se o que faltava nestes 5 anos de mitologia e drama apresentados por J.H. Wyman eram meras respostas sobre os mistérios envolvendo a origem dos observadores e da "inner child", a qual passamos a denominar Michael, estas são dadas quase que de modo didático em "The Boy Must Live", episódio que nos prepara para a series finale que culminará na próxima sexta-feira em um desfecho, acredito eu, emocional.

Este 5x11 é portanto eficaz ao cumprir seu propósito máximo, fechar pontas soltas e preparar o terreno para o conflito final. E sem perder tempo, a narrativa rapidamente coloca os personagens em ação. Walter logo é posto dentro do tanque (repetindo o plano visual do episódio piloto em que Olivia tenta se comunicar com seu antigo parceiro), o que nos leva a uma projeção gráfica da lembrança transmitida pelo garoto observador e por conseguinte ao apartamento 211, o lar de September.

Mas antes de reencontrarmos o antigo observador, ainda tivemos o excelente balanceio com o drama feito pelo diálogo entre Peter e Walter a caminho do local. E é neste momento que John Noble recupera a trama seu lado emocional em uma das cenas mais belas da série. Incrível como o ator consegue expressar apenas com o olhar o carinho que sente por Peter e o júbilo pelas lembranças que recuperou reascendendo sua ínfima humanidade. Joshua Jackson também não fica atrás e o sincero abraço que dá no pai só complementa o medo que sentimos ao imaginar um dia perder nosso querido Walter.

Esta cena inclusive serviu de prelúdio para o que veríamos a seguir, o reencontro de Michael e Donald, em outras palavras, pai e filho. Ainda mais extraordinário é ver pela primeira vez nas feições de Michael Cerveris traços humanos, quando September recebe a divisão fringe em sua porta figurando um olhar de afeto. A emoção é resultado claro de seu expurgo, o qual obrigou-lhe a remover a tecnologia que o permitia viajar no tempo, processo que os observadores chamam de reversão biológica. Todavia, isso trouxe mudanças positivas a September por recuperar sua humanidade há longo tempo perdida, ainda que vejamos nele traços similares a dos observadores, como a mudança de ângulo da cabeça que auxilia em sua cognição.

September então nos apresenta ao propósito do plano de Walter, pelo qual o fringe teamtrabalhou uma temporada inteira. Levar o menino ao futuro, apresentá-lo aos cientistas, revelar a possibilidade de crescimento da inteligência humana sem sacrificar as áreas do cérebro que geram emoções e, assim, mudar o passado.

Soa portanto perfeito que a temporada tenha iniciado com a lembrança de Peter e Olivia no parque avistando a pequena Etta brincar com um dente-de-leão minutos antes do expurgo, uma vez que este será o momento ao qual retornaremos caso a linha temporal seja modificada pelo plano. Os observadores não terão invadido, Olivia e Peter terão a pequena Etta e Walter? 

Infelizmente, tudo indica que perderemos Walter. Tenho quase absoluta certeza de que seu sacrifício será inevitável e que veremos mais um personagem morrer diante dos nossos olhos. É triste, porém parece ser esta a saída dos roteiristas para dar a Fringe o final emocional que merece. E desde que sua morte não seja em vão, estaremos satisfeitos com o caminho que escolherem.

Vale ainda ressaltar como "The Boy Must Live" foi capaz de costurar acontecimentos das temporadas anteriores aos mais recentes fatores da trama. Exemplo disto é o próprio título deste 5x11, uma referência notável ao episódio 2x15 "Peter" em que September destaca a Walter a necessidade de manter o garoto vivo, sendo este, por sua vez, Michael e não Peter, como acreditávamos na época.

A tulipa branca também se mostrou um exemplo do planejamento intrínseco da série, objeto que viemos a descobrir, três temporadas depois, que havia sido enviado por September para fortalecer a fé de Walter, dar-lhe um símbolo de esperança e, por conseguinte, prepará-lo para o dia em que seu sacrifício fosse crucial. Assim, Fringe mostra-se mais uma vez coerente em cada uma de suas etapas e capaz de solucionar qualquer questão que venha a surgir na mente do público, inclusive dar uma resolução ao final mítico de "White Tulip" que se antes já era genial, agora dispensa qualquer elogio.

Por fim, espero poder poder dizer o mesmo sobre a series finale desta semana e estou tão confiante quanto Walter no momento em que matou Olivia sabendo que esta seria curada pelo cortexiphan de que tudo sairá conforme planejado. E se tem um fato que este penúltimo episódio evidencia é que apesar das possibilidades indicarem chances de 99,9999% dos observadores sucederem, aquele 0,0001% fara completa diferença.

"Acredite nas impossibilidades" 

Easter eggs:

Mais uma vez a sequência verde-verde-verde-vermelho introduzida no episódio 1x08 "The Equation" é usada na série, desta vez no apartamento de September no dispositivo de detecção usado para explodir o local com os observadores.

Outro easter egg bacana encontrado no apartamento de September é o aquário de lagartos, uma referência clara ao episódio anterior em que Nina compara os observadores a espécie de répteis. Ainda mais curioso é o fato dos lagartos estarem juntos, já que Nina tinha dito que estes são incapazes de criar laços, uma referência, acredito eu, ao pequeno Michael. Um observador, porém, humano. Como um lagarto que cria laços.

Vemos outra referência ao episódio anterior na cena em que Walter e Peter caminham na chuva usando um guarda-chuva preto, ou melhor, uma black umbrella como visto e usado como senha em "Black Blotter".

Outro easter egg, não necessariamente significativo, porém curioso, é a placa do carro do fringe team neste 5x11, idêntica a placa vista no episódio 5x07 "Five-Twenty-Ten". Pesquisamos e nem mesmo Walter consegue explicar este fenômeno.

O Glyphs Code dessa semana soletra a palavra "Grace", que traduz-se como Graça, uma alusão ao garoto observador e como este será a graça salvadora da humanidade.



E a dica do próximo episódio desta vez pode ser vista no momento em que Windmark pega o globo de vidro com uma miniatura da estátua da liberdade, indicando que retornaremos ao local na series finale.


E para finalizar vemos em uma das caixas usadas por September borboletas, que são símbolos da série desde o princípio, veja:



Uma última teoria antes do fim:

Baseando-se no que vi nos promos da series finale, acredito que o fim seguirá da seguinte forma: o fringe team irá usar Olivia para atravessar para o lado B e chegar a Ilha da Liberdade onde encontrarão Michael, assim Walter deverá sacrificar-se para levar o garoto ao futuro, provavelmente como fez Bell ao enviar Peter, Walter, Bolivia e Astrid ao lado A na season finale da segunda temporada. Chegando em seu destino, o garoto será estudado e seremos enviados de volta ao dia do expurgo, onde Peter, Olivia e Etta poderão seguir com suas vidas. Os observadores nunca terão invadido e, no último momento, vemos Walter vivo chegando ao local na companhia de Astrid.

A propósito, tenham uma excelente series finale.

Canal de Séries, Por Gabriel Dias

0 teorias:

Postar um comentário

.