14 de jun de 2011

Anna Torv: "Me disseram que o último episódio da série já foi escrito."



Enquanto a 4ª temporada de Fringe não chega, nada melhor do que curtir uma entrevista com a protagonista da nossa série favorita, certo? A TV&Satellite Week Magazine entrevistou a atriz Anna Torv e conversou sobre sua carreira e o futuro da série. Confira:

Então, nós ficamos sabendo que teve um grande choque no episódio final da série Fringe...
“Eu não posso dizer o que acontece. Tudo que eu posso falar é que eu li o roteiro e pensei: 'Eu não sei para onde isso vai nos levar no show'. Eu sei que nós vamos começar a filmar a nova temporada no próximo mês e... Nossa, vamos filmar bastante... É muito emocionante!"

O que aconteceu na série chocou você?
" Sim, todos nós. Quando o roteiro chegou pela primeira vez, você podia ouvir os sussurros. As pessoas diziam 'O quê? Mesmo? Como isso vai funcionar?' Tiveram muitas discussões e conversas. Assim como o público, nós fomos atrás de pistas para saber o que iria acontecer, mas nós só recebemos o roteiro dois dias antes de começar a filmar - e o episódio final dessa temporada mudou depois que nós pegamos o roteiro. Eu não sei se eles fizeram isso de propósito para manter tudo sob sigilo."

Nós sabemos que haverá pelo menos mais uma temporada - os roteiristas já sabem qual será o final?
“Sim. Eles ficaram sabendo que teria mais uma temporada, então eles não precisaram revelar tudo no episódio final dessa temporada, mas me disseram que o último episódio da série já foi escrito. Eles sabem aonde ele querem nos levar, mas eles não sabem quando nós chegaremos lá."

Você sabe qual é o final?
“Não. Antes eu queria muito saber, mas agora eu estou feliz em não saber. Tem uma coisa muito boa em trabalhar em um filme ou uma peça, pois você sabe para onde está indo, mas na televisão isso é mais aberto e é muito bom também. É mais uma dança entre a audiência, os criadores e o elenco sobre o que trabalhar e o que não trabalhar. É legal que acima de tudo o esqueleto do que vai acontecer está lá, mas ainda é uma dança. Pode mudar a qualquer hora."

Com todas essas coisas que acontecem em Fringe, algumas vezes é difícil entender o que está acontecendo. Você sempre entende o que está acontecendo? 
“Sim. Fringe é a minha vida nesse momento. Todos os dias, por muitas horas do dia, por 10 meses do ano eu sempre estou mergulhada na série. Então eu posso entender. Sou confiante de que eu posso entender tudo o que acontece e eu acho que eu vou entender o final."

Mas e a ciência que está por trás do que acontece? 
“Ah, não. A ciência é uma coisa à parte. Eu não pesquiso nada dessas coisas. Não é o meu trabalho entender o porquê das coisas acontecerem. Mas John Noble, quem interpreta Walter Bishop, ele realmente entende as razões do porquê acontecem. Ele entende de tudo mesmo. Eu me sinto sortuda por não ter essas palavras científicas nas minhas falas do roteiro."

No episódio final da série, você interpreta a Olivia do futuro, assim como a real Olivia e a Bolivia, do Universo Paralelo. O que você vê de maior diferença entre elas? 
“Bem... A Olivia do futuro não é muito mais velha que a nossa Olivia. Então não é como eu interpretasse uma Olivia que mudou completamente. Ela é simplesmente a mesma Olivia, talvez um pouco mais confortável na própria pele. Com a Bolivia, as diferenças entre ela e a Olivia são sutis. Elas acabaram com o mesmo emprego, com exatamente o mesmo parceiro, fazendo a mesma coisa em seus respectivos mundos. A nossa Olivia sempre foi mais série e focada em dar o seu melhor naquilo que ela faz, e sempre quis fazer o que é certo. Mas a Olivia alternativa, Bolivia, é um pouco mais competitiva, ela quer vencer, ela é mais do que uma 'caçadora', ela quer ser a melhor. Eu amo as duas."

Quais pistas você pode nos dar sobre a próxima temporada? 
“Nenhuma. Eu não tenho nenhuma. Eu ainda não conversei com os roteiristas, eu estou esperando conseguir entender o que eles querem nas próximas semanas, para ver o que ele planejaram."

O que você gostaria de ver acontecer com a Olivia? Mais universos alternativos com mais Olivias em cada um, talvez?
“Eu acho que seria histérico se tivesse mais universos paralelos e houvesse mais Olivias em cada um deles, pois acabaria se afastando cada vez mais da nossa Olivia real. Eu gostaria de interpretar uma Olivia de uns 20 universos de distância da nossa. Ela seria uma sulista que apenas lê, toma chá, ou algo do tipo."

Ficção científica não está tendo um dos seus melhores períodos na TV americana. Por que você acha que Fringe está conseguindo sobreviver? 
“Eu acho que com a ficção científica, quanto mais você vai pra frente, mais você consegue crescer com seus personagens e suas respectivas relações, na realidade. No começo de Fringe, o coração da série era sobre um pai e um filho tentando se entender um com o outro. Desde que tenha algo parecido, você pode levar o show em qualquer lugar. É claro que é um show do gênero, mas vai além disso. As mulheres que não querem assistir monstros e fantasmas são felizes para sentar e assistir os relacionamentos da série.

Você faria outra série sobre ficção científica? Você faria, por exemplo, Doctor Who? 
“Eu ainda não assisti o novo Doctor Who. Eu estou me dedicando muito à Fringe no momento para fazer outra coisa. Mas eu certamente farei mais ficção científica. Sci-fi está me fazendo bem."

Você tem alguns planos para voltar para cá e trabalhar novamente aqui no Reino Unido?
“Claro! Eu amo a TV britânica. Eu sou uma australiana, que está sentada aqui em Londres, falando sobre um show americano que é gravado no Canadá. O mundo está se tornando um lugar muito mais fácil para se navegar. Você não precisa mais se limitar a apenas um país para trabalhar. Eu espero que a minha vida continue a me oferecer oportunidades para interpretar diferentes personagens em diferentes partes do mundo."

0 teorias:

Postar um comentário

.