15 de jan de 2012

[Review] 4x08 - "Back to Where You've Never Been"


Fringe voltou aos rumos da genialidade.


Obviamente, não questiono a qualidade dos episódios que deram início a esta 4ª temporada. Mas confesso que fazia algum tempo em que, particularmente, eu não me permitia dizer que um episódio da série havia sido de "explodir cabeças". Agora sim, com o espetacular "Back To Where You've Never Been" me permito desfrutar deste e de outros chavões para dizer que Fringe abriu o ano de 2012 com chave de ouro.

Entre o vermelho e o azul, o que vimos aqui foi uma corrida contra o tempo, conspiração e alguns retornos. Revisitamos Elizabeth Bishop e o antagonista da 1ª temporada David Jones (conforme soletrado no glyphs code do 4x07) liderando um grupo de metamorfos-humanos cujo plano, aparentemente, é de se estabelecer em cargos políticos e de grande escala com objetivos ainda não tão claros.

No entanto, se podemos ter certeza de algo é de que "Nem tudo é o que parece", conforme diz Walternativo sintetizando perfeitamente o panorama da trama no atual momento. Não há em quem confiar sabendo-se que qualquer um, repito, qualquer um pode ser um metamorfo. Como vimos com o assistente Brandon Fayette derrubado pelo dispositivo de 4 pontas. É ainda válido notar que ambos os universos agora terão de unir-se pelo bem comum: a guerra entre humanos e shapeshifters.

Este 4x08 também trabalhou inúmeras vezes por meio de metáforas. Principalmente se considerarmos a cena de abertura do episódio e todo seu subtexto sobre a trama da temporada. A meu ver, fica claro durante o sonho de Peter que a máquina de waffles derrubada por Walter simboliza a máquina do apocalípse. Defeituosa, necessitando de reparos para que possa fazer novos waffles. Waffles estes que representam o lar de Peter, cuja máquina seria a única ao qual poderia levá-lo.

Também é visível que os testes de Walter com os cata-ventos, logo no início do episódio, representam os universos/linhas temporais. Notem que há dois deles que giram no sentido do vento. Enquanto o terceiro, metálico, desafia as leis das físicas. Provável que este seja a linha temporal em que nos encontramos, na qual Peter tenta desesperadamente rotornar para casa.

Em outro momento, Peter diz à Lincoln ao emergir do portal: "Vamos lá, Espantalho! Os macacos voadores já estão a caminho...". Acredito que a referência do personagem ao Mágico de Oz não poderia encaixar-se melhor ao que se propõe este episódio. Dar início a uma longa jornada de retorno para casa. No conto de L. Frank Baum, vemos exatamente o mesmo acontecer com a pequena Dorothy, que ansiando por voltar para seu lar, dá inicio a jornada pela terra de Oz. No caminho, a garota conta com a ajuda de diversos personagens, incluindo o Espantalho, a quem Peter refere-se como Lincoln. Depois de tudo isso, só devo agradecer exaustivamente a estes roteiristas pelo trabalho incansável de referências posto em seu roteiro. Digno da palavra 'genial'.

Porém, quando cogitamos entender o que se passa nas mentes dos roteiristas de Fringe, somos surpreendidos. Enquanto Peter luta para retornar a sua linha temporal, Olivia aguarda no teatro, onde recebe a visita de Setembro. O observador com um senso de urgência maior do que o comum revela que o futuro que presenciamos em "The Day We Died" pode ser inevitável. Uma equação com diferentes constantes, mas resultados comuns. Eis então a velha discussão sobre destino e livre arbítrio: poderia Olivia, Peter e Walter evitar o inevitável?

Para finalizar, uma teoria final: Setembro aparece baleado para Olivia. Ele diz ter olhado em todos os futuros possíveis e em todos eles, Olivia tem que morrer. É possível que em um destes futuros alternativos ele tenha posto-se a frente de Walternativo e tomado o tiro por ela?

Easter eggs:

O glyphs code do episódio nunca esteve mais claro. O código soletra o nome "JONES" claramente complementando o glyphs do episódio anterior (DAVID), para formar o nome do antagonista que lidera os metamorfos, Robert David Jones:


O observador também nos poupou o trabalho de achá-lo, afinal ele veio até nós:


É notável a brincadeira da produção ao por Walter em frente ao espelho no término de uma cena e depois Walternativo em frente ao espelho no início de uma cena. Vejam:

Neste 4x08 podemos ver várias referências aos tais Ambers de quarentena do lado B. A primeira delas no cartaz que se encontra ao lado da porta do banheiro, onde está escrito: "Families of the Ambered" (Familiares dos presos no Amber). Seria este um grupo de auto-ajuda para parentes de pessoas que ficaram presas nos Ambers?

Temos também uma segunda referência na mesma cena: na parte de trás do livro vemos um título "Remeber the Ambered" (Lembre dos presos do Amber). Confira:


Mais um detalhes dessa produção soberba: Essa imagem ficar em tela por menos de um segundo durante a fuga do metamorfo-humano no início do episódio. Mas destaca-se pelo alerta: "Fique vigilante! Reporte sinais de atividades anormais a Fringe Divison"

Na sequência é possível ver o número de telefone da "emergência fringe", o 711. Fazendo referência clara ao 911, número de emergência comum nos EUA. Notem também o símbolo FF ao lado do "call urban":


Ainda temos a boa e velha brincadeira com as cores. Estas podem ser vistas no escritório de Walternativo, logo atrás de Peter, onde as telas em azul, vermelho e amarelo colocadas na parede representam os respectivos universos / linhas temporais:

Até semana que vem, galera!

Canal de Séries, Por Gabriel Dias

0 teorias:

Postar um comentário

.