17 de out de 2012

[Review] 5x03 - "The Recordist"


Fringe

Um episódio para se recordar.

Se tem um evento que precisa ser registrado em cubos de memória, é o episódio que Fringe nos apresentou nesta semana. "The Recordist" pode até soar como um filler para alguns, mas dá um passo crucial no arco central da trama e traz uma carga emocional que há algum tempo não presenciamos na série.

Com este 5x03, então, fica ainda mais visível a intenção dos roteiristas de Fringe para os 9 episódios que antecedem o final da série. Sinto que eles pretendem fazer de cada um deles uma peça importante do quebra cabeça que, se correr como previsto, estará completo entes da series finale. 

Este episódio de fato centrou-se na busca por cristais, parte importante do plano contra os observadores. Porém, esta não é a primeira vez que eles foram citados em Fringe. No episódio 5x01, após vasculhar a mente de Walter e encontrar apenas ideias disformes, Windmark o questiona à respeito de algumas pedras. Em suas palavras, "what are the stones utilized for?"(qual a finalidade das pedras?). O que acabou convertendo-se na principal questão com a qual ficamos ao término deste 5x03. 

Uma coisa é fato, existem inúmeras possibilidades e finalidades. A mais coerente delas seria que as pedras fossem utilizadas como uma arma biológica contra os observadores, uma vez que as mesmas poderiam estar ligadas a psoríase intensa citada por Walter, processo pelo qual a população que habitava o local próximo as minas estava passado e que seria a causa da corrosão de suas peles. Gosto de pensar que os roteiristas trouxeram as pessoas das peles infectadas como um vislumbre do que veremos no futuro, ou então qual seria o motivo de tal enfoque?

Há também a possibilidade de que as pedras serão usadas como matéria prima para algo que combata os observadores. Seria isto a tinta que foi utilizada para prender September no solo em "Brave New World Part 1"? Ademais, é possível que os cristais tenham alguma ligação ao já conhecido Amphicilite, mineral roubado por Robert David Jones na 4ª temporada e que naquele tempo seria utilizado como fonte de energia para a criação de um novo mundo.

De volta à trama de "The Recordist", este episódio isoladamente funciona como a história de um homem que  dá sua vida pelo futuro da humanidade. O sacrifício de Edwin Massey é além de justificável, o desfecho perfeito para este episódio. Vimos que, por um longo tempo, a condição agressiva de sua pele tornou-se uma aliada daquela pequena comunidade. Dessa forma, Edwin podia gravar os principais acontecimentos da história da humanidade. Até que em dado momento surge a divisão fringe e com ela uma oportunidade de ajuda, um plano para livrar o mundo dos invasores. O que Edwin fez neste episódio não foi somente registrar a história, mas também fazê-la.

Além disso, é quase impossível não notar a semelhança de "The Recordist" com a obra de Isaac Asimov "Fundação". Assim como em Fringe, o livro é ambientado no futuro e conta justamente a história de um grupo de cientistas que procuram preservar conhecimentos conforme a civilização ao seu redor começa a regredir. Essa mesma realidade se aplica ao futuro de 2036, onde os observadores causaram a segregação da raça humana e pequenos grupos de resistência, como a comunidade que conhecemos na Pensilvânia, preservam os últimos acontecimentos da nossa história.

A temática do recordar também aplicou-se à Peter e Olivia. O primeiro parece confortável com o fato de ter perdido anos de vida com sua filha, enquanto a segunda simplesmente não consegue esquecer.

"It's not that I can't remember. It's that I can't forget".

Com uma câmera aérea exibindo o cenário pós-apocalíptico do futuro, o episódio se encerra mostrando nossos heróis saindo em mais uma jornada à procura da próxima parte do plano. Sabemos que até lá, muitos serão os sacrifícios, mas a certeza que fica é de que não importa o quão grande ou pequena seja a perda, cada uma delas serão lembradas. 

Easter Eggs:

Nada melhor do que descobrir que no âmber, além de um plano para salvar a humanidade, se encontra ela, nossa querida Gene:

O Glyphs Code dessa semana soletra a palavra ANGER que no português traduz-se como RAIVA. Acredito que o glyphs refira-se à Olivia e o sentimento de ter perdido anos sem Etta, do vazio de uma relação que nunca poderá ser recuperada.


Um detalhe interessantíssimo visto na cena final do episódio é a imagem da pomba com folhas de oliveira no bico. Esta seria uma referência bíblica a história de Noé (Genesis 8:8-14), em que o mesmo liberta uma pomba no horizonte com o intuito de descobrir se a água que cobria a superfície do planeta havia baixado, a mesma retorna dias depois com folhas de oliveira no bico provando que havia terra para se viver. Esta poderia ser uma alusão ao fringe team que trouxe junto a se um plano para derrotar o observadores e a esperança de um futuro para a humanidade.
Outro easter egg intrigante é a comic book criada pelo garoto River e que conta a história da Fringe Division  no período anterior ao âmber. Um detalhe bem pensado foram as máscaras usadas pelos observadores, devido ao ar que em 2012 detinha baixa concentração de monóxido de carbono, veja:
Este 5x03, aliás, me fez recordar bastante do episódio "Night of Desirable Objects" (2x02) em que a Fringe Division também investiga um caso na Transilvânia. Outro ponto em que eles se assemelham é o fato de que a criatura do 2x02 vivia em túneis abaixo da terra, semelhantes as minas que vimos neste 5x03, onde ele se alimentava de suas vítimas humanas. Em determinado momento do episódio, Olivia é arrastada pela criatura para dentro do túnel e é salva por um tremor que acaba resultando na queda da viatura policial em cima do monstro. É engraçado que Walter tenha dito neste 5x03 que um tremor tenha ocorrido em uma dessas minas, o que fez com que todos dentro dela fossem forçados a comer a carne um do outro. Referência talvez?


Até semana que vem!

Canal de Séries, Por Gabriel Dias.

0 teorias:

Postar um comentário

.